Você não enxerga frete como estratégia 

Assim como marketing, política de preço e layout para aumentar conversão, o frete também é estratégia quando o assunto é vender mais em lojas virtuais. Não adianta ativar as formas de envio e “largar” o frete por si só. Quando você não tem preço e prazo de frete para determinada região, você gasta verba de marketing à toa. Afinal, quem compra algo com frete caro? 

Continue este texto e veja como transformar o frete da sua loja virtual em estratégia. 

(mais…)

O picking e packing são fases da cadeia de suprimentos em que, basicamente, acontece a retirada do produto do armazém e a sua embalagem para expedição. No processo logístico é preciso que essas atividades sejam devidamente coordenadas para não originar gargalos.

Processos definidos e bem organizados são condições imprescindíveis para a otimização de toda a cadeia, pois reduzem o tempo demandado para sua execução, minimizam o volume de recursos que seriam gastos e ainda evitam o desgaste das equipes envolvidas.

Por isso, os processos de picking e packing são fundamentais para o sucesso das empresas, especialmente as que compõe o segmento de varejo digital. Eles podem significar a excelência da Supply Chain Management e garantir a agilidade e integridade necessárias para a satisfação dos clientes.

Continue a leitura e saiba mais sobre picking e packing!

(mais…)

 

Essa é uma pergunta recorrente entre lojistas na área do e-commerce: como calcular o frete dos meus produtos? Afinal, ele é essencial para garantir uma venda tranquila tanto para o vendedor quanto para o cliente.

Para responder a essa dúvida, elaboramos um artigo simples, direto e completo. Confira!

(mais…)

O Gateway é um facilitador. A Frenet oferece uma solução de Gateway de Fretes para sua empresa crescer!

Gateway pode ser classificado como “portal” ou “portão”. Ele é considerado uma passagem entre dois ambientes distintos. Ou ainda, em outras palavras, é um sistema ou equipamento encarregado de estabelecer a comunicação entre duas redes.

Dessa forma, devem ser respeitados protocolos específicos e determinadas ações necessárias precisam ser aplicadas para o correto funcionamento da comunicação entre as duas pontas.

De certa maneira, o funcionamento do dispositivo é bastante simples. Ele faz o papel de ponte entre as redes. Além disso, ele analisa e trata as informações de acordo com as definições preestabelecidas e o tipo de função a que se destina.

Em resumo, gateway é uma conexão entre dois bancos de dados. Sendo assim, a Frenet é um gateway de frete, já que, conecta diversas transportadoras (via API ou tabela) a lojas virtuais.

Para que ele serve?

O gateway organiza a troca de informações entre um equipamento (notebook, smartphone, etc) e a internet.

Naturalmente, o dispositivo é utilizado também para prover recursos de segurança. Afinal, há um maior controle das informações que entram e saem da rede interna.

Outra atribuição dos gateways é “traduzir” as informações entre redes heterogêneas. Isto é, permitir a comunicação entre diferentes ambientes e arquiteturas. Dessa forma, a ferramenta é capaz de converter os dados entre sistemas diferentes – portanto, um sistema é capaz de “entender” o outro.

Por fim, é importante ressaltar que ambos os sistemas possuem detecção de ataques para proteger a troca de informações entre rede local e outras redes.

Quais são os exemplos de gateway?

Um roteador de internet, equipamento bastante utilizado em redes domésticas, é um bom exemplo de gateway. Embora vários dispositivos possam acessar a internet usando a mesma internet, o roteador é, na verdade, o único dispositivo com acesso direto à internet. As demais conexões têm que passar por ele para obter  o acesso.

Outro exemplo comum, embora um pouco mais técnico, é o firewall. Em suma, ele atua como “filtro” para os dados que trafegam pela rede. Seu principal objetivo é aplicar uma determinada política de segurança na rede, geralmente para evitar invasões ou instalações de vírus nos computadores.  Por isso, o firewall pode ser considerado um gateway de segurança.

Existe gateway para e-commerce?

As lojas virtuais têm no gateway um forte aliado. Muitos o utilizam sem sequer se dar conta. Porém, é graças a esse conceito que muitos processos dentro do e-commerce ocorrem.

De maneira resumida, o gateway viabiliza contatos rápidos e seguros entre o consumidor e a empresa. Além de também potencializar a comunicação da plataforma de e-commerce com suas parceiras (transportadoras e meios de pagamento).

Enfim, vamos apresentar alguns exemplos práticos de aplicação, dentro das plataformas de comércio eletrônico:

 

Gateway logístico

Muitos e-commerces ainda costumam confundir ou considerar o gateway logístico como sinônimo de gateway de frete. Embora tenham algumas semelhanças, na realidade, são conceitos distintos.

O gateway logístico é uma solução tecnológica mais abrangente. Ela está relacionada a toda a cadeia logística do e-commerce, e não apenas no transporte em si.

Dentre as suas principais vantagens estão:

 

Gateway de fretes

Sobretudo, essa é a ferramenta que estabelece a ligação entre as plataformas de gestão das lojas online com as empresas transportadoras. É ela quem disponibiliza, ao lojista virtual, diferentes opções de transportes para o seu negócio.

Além disso, esse é um processo automático — pelo menos para o consumidor.

No momento da compra, o cliente informa o seu CEP e o sistema do gateway se encarrega de consultar as informações cadastradas no banco de dados. Então, ele apresenta as opções de frete disponíveis e os valores. Por fim, cabe ao cliente apenas definir o que melhor lhe atende.

 

Diferença entre gateway e TMS logístico

Costuma haver uma certa confusão na hora de definir qual a melhor solução a ser utilizada em um e-commerce.

O TMS (Transportation Management System) atua com foco no processo de distribuição, realizando o controle de toda a operação e gestão de transportes.

Por outro lado, o gateway de fretes é uma ferramenta que garante a gestão de entregas, por meio de cálculos precisos de preços e prazos.

Outra diferença fundamental é no fato de que o TMS busca atender às necessidades do backoffice, enquanto o gateway opera com base em informações que influenciam, principalmente, a etapa de conclusão da compra no e-commerce.

 

Gateway de pagamentos

Outro gateway presente em grande parte dos e-commerces é o de pagamento. Essa é uma ferramenta que facilita muito o processo de compra e venda, em ambientes virtuais.

Os gateways de pagamento fazem a ponte entre a loja e as instituições financeiras responsáveis por processar os pagamentos realizados pelos clientes.

Hoje, grande parte das vendas online é feita na modalidade de cartão de crédito e também por boleto bancário. Com isso, ambas as modalidades necessitam de confirmação rápida, por parte da instituição, já que a agilidade nas compras é um diferencial do e-commerce.

Para os cartões de crédito, essa avaliação de crédito e confirmação da compra é feita quase que de forma instantânea, graças ao gateway de pagamento. No momento em que o cliente fornece os seus dados pessoais e do cartão, o sistema já se comunica com o banco e faz a verificação, liberando ou não a compra.

No caso dos boletos, o processo também é automático. Porém, leva mais tempo, já que a financeira necessita fazer a compensação do documento para, só então, comunicar à loja para prosseguir com a venda.

Por que o gateway é tão importante no e-commerce?

Vimos que, hoje, as lojas virtuais utilizam gateways em etapas fundamentais do processo de vendas. Sem eles, seria muito mais lento e burocrático realizar compras por meio de plataformas online.

Nesse contexto, os gateways exercem um papel crucial nessa modalidade de comércio. Além de tornar a comunicação de dados entre um ponto e outro muito mais segura, ela também melhora significativamente a comodidade, agilidade e transparência na hora de realizar compras em um e-commerce.

O diferencial de confirmar a compra rapidamente, saber o prazo médio de entrega e o custo do frete são itens altamente relevantes e determinantes na hora de fechar uma compra — razões que fazem o gateway ser tão importante para o e-commerce.

O que é a Frenet?

A Frenet é uma plataforma de frete que conecta a sua loja virtual a qualquer transportadora, proporcionando liberdade de escolha e oferecendo as melhores opções de entregas para os seus clientes.

Além disso, você também pode gerar e imprimir etiquetas de frete sem mensalidade e sem burocracia e ainda tem descontos exclusivos.

Com isso, ajudamos a reduzir carrinhos abandonados causados pelo alto custo do frete. Também evitamos que sua loja fique sem cotar caso o site dos Correios ou o sistema da sua transportadora fique fora do ar. Por fim, ajudamos a sua loja a evitar as divergências de preço entre o valor calculado e o cobrado pela transportadora, minimizando prejuízos.

Conte com a Frenet para ser gateway de frete da sua loja virtual. Crie sua conta agora gratuitamente e tenha um universo de possibilidades.

 

Com a popularização da internet e das telecomunicações em geral, as pessoas passaram a utilizar os recursos de rede, como o gateway, de forma automática e natural. São raros os casos de usuários que buscam entender o funcionamento e o que acontece “por trás” dos navegadores e computadores pessoais.

No entanto, é interessante conhecer um pouco sobre como a coisa toda funciona, até mesmo para identificar possíveis anomalias que possam comprometer a estrutura de TI utilizada.

Neste post, falamos sobre um recurso pouco comentado, ainda que esteja presente em todas as topologias de acesso à internet: o gateway.

Gostou do post? Quer conhecer mais sobre esse e outros assuntos relacionados? Acompanhe nosso blog, siga nossos perfis nas redes sociais — Facebook, InstagramLinkedin — e esteja sempre bem informado sobre as nossas novidades!

Solucionando problemas causados pelo frete no e-commerce: a possibilidade de expansão dos negócios consolidou o e-commerce como importante meio de vendas na atualidade. Contudo, ao lado das inúmeras vantagens que essa ferramenta traz, existem problemas que devem ser conhecidos pelas empresas que têm ou desejam ter uma loja virtual. Um dos grandes motivos para um consumidor deixar o carrinho de compras e sair do site, por exemplo, está relacionado ao frete.

Sendo assim, listaremos no post de hoje alguns problemas e prejuízos causados pelo frete no e-commerce. Confira a seguir!

Problemas causados pelo frete no ecommerce

Instabilidades dos Correios como entregador

A maioria das lojas virtuais utilizam os Correios como prestador de serviços de entrega. E isso ocorre seja pela facilidade de acesso ao serviço ou pela ampla capilaridade das agências. Entretanto, greves e outras instabilidades ocorrem frequentemente, o que ocasiona prejuízo ao atendimento dos usuários do comércio eletrônico.

Diante disso, é importante buscar alternativas. Um bom plano B são as transportadoras. Também é importante que o e-commerce pesquise e planeje bem o contrato de frete, de modo que possa atender satisfatoriamente seus clientes e não transforme isso em custos muito altos.

Atrasos e falta de organização dos Correios

Outro problema relacionado ao frete dos Correios está no atraso de entregas. Por vezes, desordens no processo logístico causam distúrbios que refletem diretamente no tempo de entrega das mercadorias. E no caso do e-commerce, isso se traduz em insatisfação dos clientes.

Para equacionar esses problemas, é preciso que a loja virtual faça um controle das entregas por meio dos códigos de rastreamento no sistema dos Correios. Esse controle permite antecipar falhas na logística e comunicar ao cliente, de forma adequada, a situação. A transparência nesse tipo de relação faz toda a diferença!

Problemas de logística reversa

A legislação brasileira garante aos clientes do e-commerce um prazo de devolução de até 7 dias, contados do recebimento do produto. Diante disso, a loja virtual é obrigada a fazer a troca ou proceder o estorno, procedimentos que geram um custo adicional para a empresa.

Com o intuito de mitigar esse problema, a loja virtual deve trabalhar produzindo descrições bem detalhadas das características dos produtos e fotos que traduzam a realidade. Além disso, a loja virtual deve tratar as trocas e devoluções como uma forma de adquirir feedback, usando isso para entender seus clientes e aperfeiçoar continuamente os negócios.

Plano de frete pouco flexível

A escassez de opções de frete é um problema do e-commerce em geral. Em outras palavras, oferecer preço único de frete ou poucos tipos da combinação preço/prazo são exemplos do que deve ser evitado pelas lojas virtuais que buscam oferecer um atendimento de qualidade.

Para contornar essas situações indesejáveis, que prejudicam o relacionamento com os clientes, o e-commerce deve manter uma tabela de fretes atualizada, visando oferecer valores diferenciados por localidade. A parceria com transportadoras, seguramente, é um diferencial, que pode levar o empreendimento a outro nível de qualidade — à medida que torna ágil a entrega e surpreende os clientes.

Conhece outros problemas enfrentados pelo e-commerce com relação a frete e logística? Ficou alguma dúvida? Compartilhe conosco!

Frenet: Aumente suas vendas oferecendo fretes mais baratos

Nilo Peçanha, 507 Salas 07 e 08
Centro, Birigui – SP
16200-065

© 2022 Frenet – CNPJ 05.009.138/0001-75