5 motivos para seu frete ser caro

Transportadoras Quais os Tipos e como Escolher

Uma transportadora, no dicionário, significa uma empresa que é especializada em serviços de carga.

Escute o Post Agora!

Antes de mais nada, esse termo você possivelmente já sabe, contudo existem algumas coisas sobre as transportadoras que queremos te contar:

  • Primeiramente, os tipos de Transportadoras;
  • Posteriormente, Regiões Atendidas e como usar para vender mais;
  • Transportadoras para E-Commerce a fim de atender melhor;
  • Indicação de Transportadoras que de fato te atendem;
  • Cotações de Frete para E-Commerce com efeito de conversão;
  • Regras de Frete de acordo com a campanha;
  • Restrições de Entrega visto que é Estratégico;
  • Oportunidades a fim de vender mais;

Gosto de dividir as transportadoras em 5 tipos:

– Aéreas:

Para cargas pequenas, geralmente as empresas que prestam serviços de transporte de passageiros conseguem oferecer o serviço.

Em geral, oferecem envios expressos (tempo reduzido de entrega) com o preço mais elevado.

Sobretudo, em rotas com alta demanda, costumam fazer entregas em um ou dois dias.

– Rodoviária:

Especializadas em transporte terrestre, costumam fazer “parcerias” com condutoras locais para atender regiões do interior do Brasil. 

As entregas que transitam com essas transportadoras geralmente oferecem um transporte mais barato, porém com prazo maior de entrega.

Também se torna uma opção para produtos grandes.

– Híbridas (Aérea + Rodoviária):

As Grandes bagageiras costumam oferecer serviços de entrega por aviação e rodoviário, assim, os clientes costumam ter serviço expresso e “normal” na mesma empresa.

– Rodoviárias (ônibus):

Pouco explorada pelas lojas virtuais, mas com um potencial enorme, o envio por ônibus é uma bela opção para envio rápido e com baixo custo.

De Santa Maria – RS até São paulo – SP, a encomenda chega em dois dias (rodoviária a rodoviária) e com um custo competitivo tendo em vista o prazo.

Ela apresenta alguns pontos de atenção: como a carga vai no mesmo ônibus de passageiros, por vezes, o ônibus pode estar lotado com a carga dos passageiros e o envio dos pedidos fica para outro dia.

Além disso, o rastreamento também é manual, mas pode ser uma bela opção para lojas virtuais.

– Motoboys (Entrega Expressa ou Same Day Delivery):

Ter entrega expressa é essencial para vender mais, seja uma grande operação ou pequena. 

Na Frenet você pode conectar a sua loja virtual com empresas de transporte como a Loggi, a Motoboy.com, a Shippify e RioBike que conectam milhares de prestadores de serviço a sua loja virtual. Essas integrações são “oneclick”, ou seja, automatizada.

Mas você ainda pode fazer mais, pode criar formas personalizadas de entrega. Se uma dessas empresas citadas acima não atendem a sua região ou você quer ter a sua própria equipe, é possível configurar as regiões atendidas, preços e prazos para ter a sua própria transportadora.

Geralmente lojas virtuais com um grande fluxo de entregas possuem equipes próprias de entrega, mas é possível fechar parcerias locais para entregas na sua cidade.

– (A sexta transportadora) Bônus:

À primeira vista, não podemos chamar de transportadora, mas, por se tratar de uma forma de entrega, deve estar presente nesse artigo.

A retirada na loja é uma arma poderosa para vender mais para o mesmo cliente. É estatístico, 20% das pessoas que vão retirar na loja acabam comprando outro item. 

Você aumenta o ticket médio com uma venda já feita! Tenha na sua loja!

Transportadoras que atendem regiões específicas:

O pensamento do gestor logístico é buscar um parceiro que atenda o maior território possível.

Isso não está errado, porém, pode tornar a logística não tão eficiente.

Existem muitas transportadoras que possuem um volume grande para regiões específicas e, assim, conseguem um preço competitivo para regiões específicas.

Busque parceiros para rotas exclusivas, isso pode te proporcionar custos e prazos menores.

Transportadoras para E-Commerce:

Algumas transportadoras são especialistas em grandes volumes e, geralmente atendem apenas B2B e outras são especialistas em atender o cliente final B2C, costumam ser essas as mais utilizadas para a logística de lojas virtuais.

Olhando “de longe” a logística pode parecer a mesma coisa (B2B e B2C) mas são operações com complexidades muito diferentes.

Um caminhão que atende somente CNPJ, tem como destino final, dezenas de empresas que operam em horário comercial, um caminhão com cargas para CPF pode conter milhares de clientes que geralmente não estão em casa para receber no horário comercial. 

Ou seja, a transportadora precisará voltar para entregar, isso torna a operação mais complexa e cara.  Por isso, busque especialistas em atender CPF.

Mas como achar essas empresas especializadas em transporte?

A Frenet possui um sistema de indicação de transportadoras!

Isso mesmo, de acordo com a sua necessidade, oferecemos as melhores empresas para a região que você precisa e de acordo com as peculiaridades do seu negócio.

Confere como funciona aqui:

Você ganha tempo e conversa com as prestadores de serviços certos!

Como funcionam as Cotações de Frete para Lojas Virtuais?

Para o cliente, basta digitar o CEP e, imediatamente, o resultado aparece, mas tem algumas coisas que o cliente não vê.

É importante que a cotação seja quase instantânea, por isso fazemos backup e temos diversos servidores que nos ajudam a proporcionar cotações precisas e rápidas.

Garantindo uma entrega excelente para as lojas virtuais.

Faça uma simulação de frete na sua loja e confira o tempo que demora para aparecer o resultado, isso pode impactar negativamente as vendas.

Ter muitas condutoras de pedidos, ajuda ou atrapalha?

Costumo dizer que é preciso ter as cotações eficientes!

Na Frenet você consegue gerenciar qual resultado você deseja apresentar para o cliente.

Por exemplo: O cliente digita o CEP: 97000-000 e o resultado apresentado é o seguinte:

  • Super Expresso: R$ 80,00 todavia, 2 dias para entrega.
  • Expresso: R$ 60,00 todavia, 4 dias para entrega.
  • Meio Expresso: R$ 50,00 todavia, 5 dias para entrega.
  • Normal Rápido: R$ 45,00 todavia, 6 dias para entrega.
  • Normal: R$ 40,00 todavia, 6 dias para entrega.
  • Normal Barato: R$ 10,00 todavia, 12 dias para entrega.

Isso tende a confundir o cliente.

Você pode optar por qual(is) resultado(s) apresentar.

  • Super Expresso: R$ 80,00 2 dias para entrega.
  • Meio Expresso: R$ 50,00 5 dias para entrega.
  • Normal Barato: R$ 10,00 12 dias para entrega.

Isso facilita na escolha e diminui os carrinhos abandonados.

Essa indecisão, é normal, e precisamos prever isso quando melhorarmos as nossa gestão logística. Em outras palavras, apresentamos as melhores formas de envio para o cliente, sem confundi-lo! Olha como tu consegue fazer isso na plataforma:

O frete é uma das partes mais importantes da venda de uma loja virtual.

Ele precisa ser utilizado de forma estratégica.

Acesse o Google Analytics e veja quais são as cidades que você mais vende e qual a o valor proporcional do frete.

Provavelmente, as cidades que você mais vende vão ser aquelas que o frete é, proporcionalmente, mais barato.

Depois de analisar, você pode criar regras de preço e prazo para criar campanhas específicas para cada região.

Seria basicamente assim:

– Analise as regiões;

– Crie as Regras na Frenet;

– Crie uma campanha para aquela região no Facebook Ads ou Google Ads.

Olha o nível de segmentação que tu consegue criar:

Restrições de Entrega:

Não é normal restringirmos entregas, queremos vender pra todos em todos os lugares possíveis!

Mas a restrição de entrega deve ser utilizada para entregar a melhor forma de envio para o seu cliente.

Vou apresentar duas situações hipotéticas:

1ª Transportadora entrega bem produtos pequenos mas para itens grandes geralmente danifica a embalagem.

Nesse caso, você pode criar uma restrição de acordo com a medida e com a transportadora ou pela categoria ou pelo sku do produto, ou com mais de uma informação.

O segundo caso é o (maldito) chargeback. Imagine que, historicamente, todas as vendas que você teve para uma faixa de CEP específica (uma rua, um bairro, por exemplo), todas foram fraudulentas. 

Nesse caso, você pode deixar de oferecer formas de entrega para essa região e proteger o lucro líquido da sua empresa.

As possibilidades são diversas e o sistema está pronto para criar regras super específicas. O importante é entender, aplica e testar o resultado.

Uma transportadora pode te abrir várias oportunidades:

  • Vender mais para regiões que você já vende;
  • Conseguir atender regiões que não eram atendidas;
  • Conseguir diminuir Prazos e Preços;
  • Conseguir melhorar a Eficiência da Logística;
  • Conseguir diminuir SAC;

Enfim, isso tudo faz parte da gestão logística da sua loja virtual – que é um organismo vivo – e deve ser constantemente revisado e melhorado para atender melhor o cliente e, consequentemente, vender mais.

A Frenet Lançou a compra de etiquetas! Conheça!

Leia Mais

Gateway: o que é e como funciona?

O que é um gateway?

Em uma tradução livre do inglês, um gateway poderia ser classificado como “portal” ou “portão”. Em resumo, uma passagem entre dois ambientes distintos.

A tradução do termo é exatamente o que ele significa: um equipamento encarregado de estabelecer a comunicação entre duas redes, respeitando protocolos específicos e tomando determinadas ações necessárias para o correto funcionamento da comunicação entre as duas pontas.

Grosso modo, o funcionamento do dispositivo é bastante simples. Ele faz o papel de ponte entre as redes. Analisa e trata as informações de acordo com as definições preestabelecidas e o tipo de função a que se destina.


Em resumo, gateway é uma conexão entre dois bancos de dados. No caso da Frenet, conectamos a loja virtual a mais de 50 transportadoras via API, sendo assim, um Gateway de Frete.


Para que ele serve?

Uma das funções centrais de um gateway é organizar o tráfego de informações entre um equipamento final (computador, notebook, smartphone, tablet, etc) e a internet. Naturalmente, o dispositivo é utilizado também para prover recursos de segurança, controlando as informações que entram e saem da rede interna. Usa-se muito o endereço ip durante as integrações.

Outra atribuição dos gateways é “traduzir” as informações entre redes heterogêneas. Isto é, permitir a comunicação entre diferentes ambientes e arquiteturas. Assim, a ferramenta é capaz de converter os dados entre sistemas diferentes, de modo que cada lado seja capaz de “entender” o outro.

É importante ressaltar que ambos os sistemas possuem detecção de ataques para proteger a troca de informações entre rede local e outras redes.

Quais são os exemplos de gateway?

Um roteador, equipamento bastante utilizado em redes domésticas, é um bom exemplo de gateway. Embora vários dispositivos possam acessar a internet usando a mesma rede de uma residência, o roteador é, na verdade, o único dispositivo com acesso direto à internet. As demais conexões têm que passar por ele para obter acesso à rede mundial.

Outro exemplo comum, embora um pouco mais técnico, é o firewall. Atuando como “filtro” para os dados que trafegam pela rede, esse dispositivo atua exatamente como um gateway de segurança para os equipamentos e dados.

Existe gateway para e-commerce?

As empresas de e-commerce também têm, nesse conceito, um forte aliado — e muitos o utilizam sem sequer se dar conta. Porém, é graças a esse conceito que muitos processos dentro do e-commerce ocorrem.

De maneira geral, o gateway viabiliza contatos rápidos e seguros entre o consumidor e a empresa. Além de também potencializar a comunicação da empresa de e-commerce com suas parceiras, como é caso das transportadoras e instituições financeiras, o gateway pode incorporar informações relevantes da integração.

Agora que você já sabe que existem gateways para e-commerce, vamos a alguns exemplos práticos de aplicação, dentro das plataformas de comércio eletrônico:

Gateway logístico

Muitos e-commerces ainda costumam confundir ou considerar o gateway logístico como sinônimo de gateway de frete. Embora tenham algumas semelhanças, na realidade, são conceitos distintos.

O gateway logístico é uma solução tecnológica mais abrangente, está relacionada a toda a cadeia logística do e-commerce e, não apenas, no transporte em si. Dentre as suas principais vantagens estão:

  • Acompanhamento de abandono de carrinho em razão de rotas;
  • Auxílio na negociação com transportadoras;
  • Redução de custos logísticos;
  • Mensuração da eficiência de transportadoras.

E-Book O guia do frete para e-commerce tudo o que você precisa saber

Gateway de fretes

Essa é a ferramenta que estabelece a ligação entre as plataformas de gestão das lojas online com as empresas transportadoras.

É ela quem disponibiliza, ao lojista virtual, diferentes opções de transportes para o seu negócio. Na prática, esse é um processo automático — pelo menos para o consumidor.

No momento da compra, o cliente informa o seu CEP e o sistema do gateway se encarrega de consultar as informações cadastradas no banco de dados. Então, apresenta as opções de frete disponíveis e os valores. Cabe ao cliente apenas definir o que melhor lhe atende.

Diferença entre gateway e TMS logístico

Costuma haver uma certa confusão na hora de definir qual a melhor solução a ser utilizada em um e-commerce. O TMS (Transportation Management System) atua com foco no processo de distribuição, realizando o controle de toda a operação e gestão de transportes.

Por outro lado, o gateway de fretes é uma ferramenta que garante a gestão de entregas, por meio de cálculos precisos de preços e prazos.

Outra diferença fundamental pode estar no fato de que o TMS busca atender às necessidades do backoffice, enquanto o gateway opera com base em informações que influenciam, principalmente, a etapa de conclusão da compra no e-commerce.

Gateway de pagamentos

Outro gateway presente em grande parte dos e-commerces é o de pagamento. Essa é uma ferramenta que facilita muito o processo de compra e venda, em ambientes virtuais.

Os gateways de pagamento fazem a ponte entre a loja e as instituições financeiras responsáveis por processar os pagamentos realizados pelos clientes. Hoje, grande parte das vendas online é feita na modalidade de cartão de crédito e também por boleto bancário. Ambas as modalidades necessitam de confirmação rápida, por parte da instituição, já que a agilidade nas compras é um diferencial do e-commerce.

No caso dos cartões de crédito, essa avaliação de crédito e confirmação da compra é feita quase que de forma instantânea, graças ao gateway de pagamento. No momento em que o cliente fornece os seus dados pessoais e do cartão, o sistema já se comunica com o banco e faz a verificação, liberando ou não a compra.

No caso dos boletos, o processo também é automático. Porém, leva mais tempo. Pois a financeira necessita fazer a compensação do documento para, só então, comunicar à loja para prosseguir com a venda.

Por que o gateway é tão importante no e-commerce?

Vimos que, hoje, as lojas virtuais utilizam gateways em etapas fundamentais do processo de vendas. Sem eles, seria muito mais lento e burocrático realizar compras por meio de plataformas online.

Nesse contexto, os gateways exercem um papel crucial nessa modalidade de comércio. Além de tornar a comunicação de dados entre um ponto e outro muito mais segura, ainda melhora significativamente a comodidade, agilidade e transparência, na hora de realizar compras em um e-commerce.

O diferencial de confirmar a compra rapidamente, saber o prazo médio de entrega e o custo do frete são itens altamente relevantes e determinantes na hora de fechar uma compra — razões que fazem o gateway ser tão importante para o e-commerce.

O que é a Frenet?

A Frenet disponibiliza uma ferramenta de baixo custo para integrar qualquer transportadora na sua loja virtual e um painel intuitivo para criar regras de frete promocionais em segundos.

Nossa solução ajuda a reduzir perdas de vendas (carrinhos abandonados) relacionadas ao alto custo do frete e outros problemas técnicos (Ex.: Cálculo do frete dos Correios fora do “ar”, divergência do preço do frete calculado na loja virtual, etc).

 

Frenet - Clique para começar

 

IMPORTANTE! A FRENET NÃO É UMA TRANSPORTADORA

Com a popularização da internet e das telecomunicações em geral, as pessoas passaram a utilizar os recursos de rede, como o gateway, de forma automática e natural. São raros os casos de usuários que buscam entender o funcionamento e o que acontece “por trás” dos navegadores e computadores pessoais.

No entanto, é interessante conhecer um pouco sobre como a coisa toda funciona, até mesmo para identificar possíveis anomalias que possam comprometer a estrutura de TI utilizada. Neste post, falamos sobre um recurso pouco comentado, ainda que esteja presente em todas as topologias de acesso à internet: o gateway.

Gostou do post? Quer conhecer mais sobre esse e outros assuntos relacionados? Siga nossos perfis nas redes sociais — Facebook e Linkedin — e esteja sempre bem informado sobre as nossas novidades!

Leia Mais

Solucionando problemas causados pelo frete no e-commerce

A possibilidade de expansão dos negócios consolidou o e-commerce como importante meio de vendas na atualidade. Contudo, ao lado das inúmeras vantagens que essa ferramenta traz, existem problemas que devem ser conhecidos pelas empresas que têm ou desejam ter uma loja virtual. Um dos grandes motivos para um consumidor deixar o carrinho de compras e sair do site, por exemplo, está relacionado ao frete.

Sendo assim, listaremos no post de hoje alguns problemas e prejuízos causados pelo frete no e-commerce. Confira a seguir!

Problemas causados pelo frete no ecommerce

(mais…)

Leia Mais