5 dicas para conseguir um preço competitivo no ecommerce

O mercado de ecommerce é bastante disputado. O cliente tem, em poucos cliques, uma grande variedade de ofertas de diversos produtos. Ele pode entrar na sua loja, gostar dos itens oferecidos, ler as qualidades dos serviços, mas fechar o negócio com o concorrente. O motivo: valores. Daí surge a necessidade de se praticar um preço competitivo.

Porém, é importante tomar cuidado para que baixar os preços não seja uma solução ilusória e, na prática, vire um problema de caixa. A redução dos valores não deve interferir negativamente nas contas da empresa. Para que a estratégia funcione efetivamente é necessário reduzir os gastos.

Separamos algumas dicas que podem contribuir na formação de um preço competitivo para a sua loja virtual. Confira!

preço competitivo

1. Saiba definir corretamente o preço de um produto

Alguns dados precisam ser levados em conta no momento da elaboração de um valor de venda. Não se atentar a eles pode prejudicar a saúde financeira da empresa. Considere:

  • Custo unitário: quanto o produto custou individualmente, mesmo tendo sido comprado em grande quantidade;
  • Despesas fixas e variáveis: gastos da empresa como telefone, aluguel e funcionários, além de impostos e descontos: tudo precisa ser diluído no valor dos produtos;
  • Margem de lucro e markup: é preciso definir quanto você quer ganhar e o valor que volta efetivamente para o caixa da empresa;
  • Preço de tabela e concorrentes: avalie os preços praticados pelo mercado.

2. Negocie os valores de compra

Há algumas formas eficazes de baixar o valor de compra dos seus insumos e produtos:

  • Pesquise por preços mais baixos, sem abrir mão da qualidade;
  • Adquira peças em grande quantidade — seja de um mix ou de um produto único — com o mesmo fornecedor;
  • Faça parcerias com as marcas.

Esses elementos abrem margem para negociações e redução dos custos.

3. Tenha a tecnologia como aliada

Automatize os processos de produção e de gestão da empresa. Há, por exemplo, programas inteligentes de precificação com técnicas para manter os valores competitivos. Ou ainda, sistemas internos de controle de processos. A economia é feita na redução de mão de obra e do tempo gasto nas ações que podem ser simplificadas.

4. Aposte na integração logística

Os custos com as atividades de logística também podem ser reduzidos. Aposte em plataformas digitais que integram lojas virtuais às transportadoras. Por meio delas, é possível cotar os fretes para chegar ao melhor preço, praticado de acordo com a necessidade dos serviços de cada empresa, além de rastrear os pedidos dos clientes.

5. Evite gastos com a reversa

O Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB) apontou, em um estudo, que em média 5% do faturamento das empresas no país é composto por gastos com o retorno de produtos. Portanto, outra maneira de reduzir os gastos é diminuir os fatores que levam à reversa. Entre eles estão:

  • O envio de produtos errados;
  • A não explicação dos itens corretamente no site;
  • A entrega feita de forma desleixada.

Ficou claro que o grande trunfo para um preço competitivo é a redução dos custos? Caso tenha sucesso com as aplicações das ações citadas no texto, conte para gente nos comentários. Novas dicas também são bem-vindas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *