Just in Time

Just in time: saiba como o processo impacta a logística

Está pensando em implementar no seu e-commerce um processo que reduz o custo, otimiza a produção e a logística, e, além disso, diminui o desperdício da produção sem alterar a qualidade do produto? Pois saiba que o Just in Time promete fazer tudo isso.

Com esse processo, você pode aumentar a produtividade e a performance do seu negócio e, ainda, delimitar estratégias mais acertadas. Quer saber como isso é possível? Então leia este post até o final para não perder nenhum detalhe!

Como surgiu o processo Just in Time?

A metodologia Just in Time (JIT) surgiu no Japão, graças à fábrica da Toyota Motor Company, em meados da década de 1950. Naquela época, devido ao crescimento da indústria automobilística, a empresa japonesa pesquisava meios para otimizar e agilizar a produção sem deixar a qualidade do produto de lado.

Com a descoberta do JIT, a empresa conseguiu diminuir consideravelmente o tempo de seus processos, o que comprovou a eficácia dessa metodologia. Logo, não demorou muito para que implementasse o Just in Time em todos os processos da empresa, melhorando a qualidade do produto, reduzindo erros e agilizando o processo de produção.

O que é Just in Time?

De forma bem objetiva e clara, o JIT pode ser definido como um processo que produz e entrega produtos baseando na demanda e na quantidade exata necessária, reduzindo o estoque. Esse sistema possibilita, portanto, a diminuição de custos, a eficácia e a otimização do tempo de produção e entrega — por isso o nome Just in Time, que significa “bem na hora”.

Assim, o administrador deve controlar que o abastecimento do estoque ocorra no momento certo e na quantidade necessária, espelhando sempre na demanda e assegurando a qualidade. Além disso, deve sempre buscar por formas de melhorias contínuas do seu processo produtivo e de logística.

Vale destacar também que o maior benefício dessa filosofia é o aumento da qualidade do produto, uma vez que o foco da empresa não é a quantidade, o que facilita a fidelização dos seus clientes.

Quais são as vantagens do Just in Time?

As vantagens do JIT vão além da produção e da logística de um negócio. Ele impacta todos os envolvidos na cadeia de produção, venda e compra de um produto. Por isso, separamos os principais benefícios associados com a adoção dessa metodologia:

  • maior qualidade do produto, pois existe a busca contínua pela eliminação de erros, quebras e falhas que podem prejudicar as mercadorias fabricadas;
  • redução do estoque e a consequente diminuição do espaço físico, de equipamentos de armazenagem e conservação — o que diminui também as necessidades de gestão, liberando líderes e liderados do setor para atividades de maior valor agregado para a empresa;
  • otimização dos processos de produção e logística, uma vez que há um melhor planejamento e o aumento da responsabilidade dos colaboradores de ambas as áreas para que o único nível aceitável de erros e defeitos seja zero;
  • possibilidade de mudar produtos com poucas perdas ou complicações, já que há maior rapidez de resposta a decisões equivocadas que resultam em mercadorias ultrapassadas ou que não agradam — afinal, com estoques reduzidos ou inexistentes, acumulam-se menos itens obsoletos;
  • mais eficiência na gestão de custos com itens e serviços de limpeza, além da redução de gastos com luz elétrica, por haver menos área física para iluminar ou produtos para refrigerar — caso sua empresa trabalhe com mercadorias que necessitam desse tipo de conservação.

Quais são as desvantagens do Just in Time?

Além de benefícios, o Just in Time também tem algumas desvantagens. A primeira delas é que esse sistema necessita que a procura dos clientes pelos produtos seja estável a curto prazo. Isso é preciso para haver um equilíbrio mais adequado dos recursos existentes, permitindo um fluxo de produção contínuo e suave.

Se a demanda for muito instável, a empresa poderá ter dificuldades de acompanhar o ritmo de fabricação ou comercialização exigido, especialmente se houver uma elevação expressiva das vendas. Afinal, toda a estrutura estará adaptada para um determinado ritmo de vendas.

Embora consiga suportar determinadas margens para mais ou para menos de aumentos, isso geralmente é limitado, não dando conta para crescimentos expressivos. Se a procura é muito instável, a empresa passa a depender de um nível mínimo de estoque para dar conta do volume de compras dos clientes, principalmente em datas especiais ou épocas de alta sazonalidade.

Outro item que limita o JIT são os riscos de interrupções na produção, motivados por panes nos equipamentos, greves, acidentes ou intempéries naturais. Em caso de parada das operações, como não há estoque ou ele é limitado, um negócio pode deixar de cumprir prazos e atender clientes.

Problemas similares nos fornecedores também costumam afetar a organização, especialmente se provocam demoras ou cortes no suprimento de insumos ou mercadorias para revenda.

Qual a relação do Just in Time com a metodologia Kanban?

Kanban, que pode ser traduzido para “cartões” ou “sinalização”, corresponde a um instrumento usado, entre outros propósitos, para absorver as oscilações de demandas do mercado. Normalmente, esse método é empregado em conjunto com o JIT, pois entrega um sistema visual de controle eficiente da produção e dos estoques da empresa.

Dessa forma, ele funciona como uma ferramenta para gerenciar o método de produção JIT. Para tanto, emprega cartões para monitorar e controlar as quantidades a serem fabricadas. Isso é feito no lugar de listas de pendências de vendas ou de produção extraídas do MRP (Material Requirement Planning), que é o planejamento de necessidades de materiais.

A implantação do Kanban necessita, inicialmente, da mudança do sistema convencional de produção “empurrada” para o de produção “puxada”, o que é acompanhado pela adoção dos controles visuais de estoque e produção.

No primeiro método, a operação inicial do processo recebe uma ordem de produção — normalmente vinda de um sistema MRP — e realiza sua operação fabricando um lote de mercadorias que é “empurrado” para a etapa posterior do processo de produção. Aqui, não há uma ligação direta entre o que se faz e a real demanda por parte dos clientes.

Já na produção “puxada”, o sistema usa o volume de itens estocados efetivamente faturados para o cliente e produz para repô-los ou só começa a fabricar após o pedido do consumidor ter sido feito. Nessa modalidade, há uma relação direta entre o consumo efetivo do cliente e a quantidade fabricada.

Como implementar o Just in Time em um e-commerce?

Por se tratar de uma técnica simples, a sua implementação também não demanda nenhum investimento alto ou complexo. E, para isso acontecer, reveja a cultura da empresa, tenha uma equipe engajada, disposta a aprender e interessada.

É preciso garantir a qualidade do produto, a eficiência e agilidade na entrega. Lembre-se que deve trabalhar com os números reais de demanda em vez de dados especulados na projeção de vendas, cogitando até mesmo adotar a produção “puxada”, nem que seja parcialmente, apenas para repor níveis mínimos de estoques.

O método Kanban também pode ajudar você a implantar e fortalecer o JIT na sua loja virtual, especialmente se você tem uma demanda considerável. Por fim, para otimizar esse sistema, busque uma solução de gestão logística que forneça suporte para preceitos e processos do Just in Time. Dessa forma, conseguirá adotá-lo com maior facilidade.

Como visto, o Just in Time traz algumas vantagens para o e-commerce, como redução de custos com estoque, deixando-os na medida certa para a empresa atender os clientes. Isso pode ajudar até sua gestão de entregas, uma vez que diminui o trabalho para encontrar, separar e enviar produtos. Por esse e outros fatores, vale a pena avaliar e pesquisar bem esse sistema para ver se é viável implantar no seu negócio.

Agora que você entendeu um pouco mais sobre o conceito do processo Just in Time e suas vantagens, que tal assinar nossa newsletter para receber avisos sobre nossos próximos posts e, assim, ficar por dentro de mais conteúdo como esse?

Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterEmail this to someone

3 comentários em “Just in time: saiba como o processo impacta a logística

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *