Gateway: o que é e como funciona?

Com a popularização da internet e das telecomunicações em geral, as pessoas passaram a utilizar os recursos de rede de forma automática e natural. São raros os casos de usuários que buscam entender o funcionamento e o que acontece “por trás” dos navegadores e computadores pessoais.

No entanto, é interessante conhecer um pouco sobre como a coisa toda funciona, até mesmo para identificar possíveis anomalias que possam comprometer a estrutura de TI utilizada.

Neste post, vamos falar sobre um recurso pouco comentado, ainda que esteja presente em todas as topologias de acesso à internet: o gateway. Continue a leitura para saber do que se trata, como funciona e para que serve essa ferramenta!

gateway

O que é um gateway?

Em uma tradução livre do inglês, um gateway poderia ser classificado como “portal” ou “portão”. Em resumo, uma passagem entre dois ambientes distintos. E é exatamente disso que se trata: um equipamento que faz a comunicação entre duas redes, respeitando algumas regras e tomando determinadas ações necessárias para o correto funcionamento da comunicação entre as duas pontas.

Grosso modo, o funcionamento do dispositivo é bastante simples. Ele faz o papel de ponte entre as redes, analisando e tratando as informações de acordo com as definições preestabelecidas e o tipo de função a que se destina.

Para que serve?

Uma das funções principais de um gateway é organizar o tráfego de informações entre um equipamento final (computador, notebook, smartphone, tablet etc) e a internet. Naturalmente, o dispositivo é utilizado também para prover recursos de segurança, controlando as informações que entram e saem da rede interna.

Outra atribuição dos gateways é “traduzir” as informações entre redes heterogêneas, isto é, permitir a comunicação entre diferentes ambientes e arquiteturas. Assim, a ferramenta é capaz de converter os dados entre sistemas diferentes, de modo que cada lado seja capaz de “entender” o outro.

Quais são os exemplos de gateway?

Um roteador, equipamento bastante utilizado em redes domésticas, é um bom exemplo de gateway. Embora vários dispositivos possam acessar a internet usando a mesma rede de uma residência, o roteador é na verdade o único dispositivo com acesso direto à internet. Todas as demais conexões têm que passar por ele para obter acesso à rede mundial.

Outro exemplo comum, embora um pouco mais técnico, é o firewall. Atuando como “filtro” para os dados que trafegam pela rede, esse dispositivo atua exatamente como um gateway de segurança para os equipamentos e dados.

Existe gateway para e-commerce?

As empresas de e-commerce também tem nesse conceito um forte aliado —e muitos o utilizam sem sequer se dar conta. Estamos falando dos “gateways de pagamento”, que são interfaces utilizadas para a transmissão de dados entre os clientes, a empresa e as instituições financeiras.

Na prática, o gateway de pagamento funciona com se fosse um terminal de cartão de crédito. As informações enviadas pelo cliente no site da loja são recebidas pelo gateway. Esse, por sua vez, trata do envio dessas informações para o banco, sua validação e o recebimento da confirmação, tudo de forma automática, segura e prática.

Outra aplicação relevante para o e-commerce dá conta da utilização de um gateway de fretes, que proporciona a completa integração entre a loja e as empresas de transporte, auxiliando sobremaneira no processo de logística do negócio.

Neste artigo, fizemos uma breve descrição sobre o que é e para que serve um gateway. Importante para o correto funcionamento das redes e também na questão da segurança, trata-se de um dispositivo comum embora pouco conhecido.

Gostou do post? Quer conhecer outras dicas? Siga nossos perfis nas redes sociais — Facebook e Linkedin — e esteja sempre bem informado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *